sexta-feira, 26 de abril de 2013

Eduardo Campos e a arte de tirar as meias sem descalçar os sapatos

A primeira parte da biografia de Getúlio Vargas tem algumas passagens muito semelhantes com os dias atuais. O processo que levou Vargas a se colocar como presidenciável, por exemplo, é parecido ao vivenciado por Eduardo Campos. Uma frase sobre o ex-presidente, dita por um amigo deste, poderia muito bem se aplicar ao governador de Pernambuco: 'É tão ladino que é capaz de tirar as meias sem sequer descalçar os sapatos'.

A seguir, trechos do livro. Troquem Getúlio por Eduardo e Rio Grande do Sul por Pernambuco.

Getúlio: 'Não quero jogar o RS numa aventura visando a minha pessoa, mas receio, por excesso de solidariedade com o presidente da República, sacrificar a oportunidade do RS'

Amigo de Getúlio: 'Temos que encaminhar os fatos com prudência, mas não podemos deixar que passe a nossa hora, como um índio preguiçoso que vê apodrecer a fruta madura na árvore por indolênia de colhê-la'

Trecho do livro: 'Getúlio temia que a candidatura sofresse morte precoce, vítima de inanição pela simples ausência de novos apoios estaduais. Sem um vice de peso, não adiantaria partir para o embate'

A palavra de ordem que mais se ouviu naqueles dias em Porto Alegre (ou agora seria o Recife?) foi uma só: 'É preciso rio-grandesizar o Brasil'

Amigo de Getúlio: 'Teremos luta e bravia. A vitóra ou derrota virão. Serão iguais para nós porque nem uma nem outra aumentam ou diminuem nossa dignidade. A capitulação é que será a nossa vergonha e a eliminação definitiva do RS da política do Brasil'

Nenhum comentário:

Postar um comentário